domingo, 29 de novembro de 2009

A Animação Sociocultural nos lares da terceira idade

A animação sociocultural surge como forma de alcançar uma vida animada, mostrando a cada pessoa idosa as etapas que permitem conquistar pequenos momentos de alegria nos lares da terceira idade. Assim, a animação pode ser encarada como todo um conjunto de acções exercidas “sobre um grupo, uma colectividade ou um meio, visando desenvolver a comunicação e estruturar a vida social […] é um método de integração e participação […]; a função da animação define-se como uma função de adaptação às novas formas de vida social”. (Imhof, 1991:118)

A animação surgiu, então, para compensar algumas carências, numa tentativa de recuperar na pessoa idosa, a liberdade que se poderá alcançar durante o tempo livre, sendo um prática social dinamizadora da sociedade, infundindo entusiasmo a todo o tecido social.

Este conjunto de elementos compensatórios de algumas carências pode verificar-se através de uma diversidade de funções atribuídas à animação sociocultural que Besnard (1985) refere: a função de adaptação e de integração, que tem por finalidade promover a socialização dos indivíduos, com especial relevo nos lares e a função recreativa, que está relacionada com os tempos de lazer, em que o/a animador/a organiza a sua ocupação encarregando-se das actividades a realizar. (Canário, 1999:76)

Com estas funções a animação sociocultural terá a potencialidade de assumir um lugar central na procura de novos modelos de organização social, mais qualitativos, adaptando ao mesmo tempo as pessoas idosas às rápidas mudanças sociais do mundo exterior.

A existência da animação evidencia-se em diversos campos, mas qualquer que seja o seu campo de aplicação, parece implicar três processos conjuntos: desenvolvimento, colocar em relação e criatividade. (Quintana,1992:37)
Acredita-se que a animação dinamiza os lares, envolvendo as pessoas idosas activamente, implicando um crescimento pessoal e social, tendo como objectivo suscitar de melhoria e de progresso.

Para as pessoas idosas o repouso constitui um elemento muito importante na concepção dos lazeres, uma vez que após uma vida cheia de experiências encontramos uma deterioração a nível físico. A necessidade de repouso por parte das pessoas idosas manifesta-se de diversas maneiras, isto é :
- Um ritmo mais lento, adaptado às suas necessidades e condições psíquicas e físicas;
- A necessidade de existência de uma rotina diária, que as ajudem a situar no tempo e espaço.

Para além da necessidade de repouso, é igualmente importante a necessidade de valorização e integração. De facto, sentir-se útil constitui uma realidade para a pessoa idosa. Esta deve ser encarada como uma pessoa adulta e capaz, a quem se pode propor trabalhos úteis e eventualmente rentáveis.
Ao nível da animação social para pessoas idosas institucionalizadas, podem ser desenvolvidos diversos tipos de actividades, como por exemplo, exercício físico ligeiro, leitura de contos e poemas, visionamento de filmes, ateliers, passeios ao ar livre, visitas a museus, jogos, etc.

Antes da passagem à prática das diversas actividades, é fundamental que seja realizada uma avaliação psicológica e física de cada pessoa idosa, no sentido de perceber quais as capacidades reais de cada pessoa idosa relativamente a cada uma das actividades propostas. Todas as actividades de animação devem ser realizadas com o maior número possível de participantes. Para que isso ocorra é necessário fazer um estudo prévio sobre quais as actividades que mais agradam e motivam os utentes da instituição.

Os/as animadores/as tendem a agir em três direcções fundamentais:
- Valorização: propondo actividades que permitam mostrar a si mesmas/os e às/aos outras/os que são capazes e úteis;
- Ultrapassar o isolamento: encorajando as pessoas idosas a participarem segundo os seus desejos;
- Repouso: o/a animador/a tem de incluir no seu programa actividades que tenham em conta o ritmo de cada pessoa idosa.

Torna-se, assim, de primordial importância desenvolver mecanismos para a sensibilização e consciencialização das pessoas, os quais a animação sociocultural pretende, desde logo, estimular na própria pessoa idosa. Há que promover e dinamizar actividades de lazer e ocupação, tentando ir ao encontro das preferências da/o idosa/o, valorizando-a/o e destruindo os estereótipos que possam inibir acções ou a sua própria identidade, tão pouco estimada pela pessoa idosa e pelas/os outras/os.

3 comentários:

Ermelinda disse...

Sou professora e estou a trabalhar com cursos profissionais de animador sociocultural.
Gosto de passar pelo seu blog, pois twem sempre uma forma simpática de analisar as coisas.
Também aproveito algumas ideias, mas penso que precisavamos de um local onde partilhar actividades, principalmente algumas técnicas.

ana santos disse...

Ola antes de mais muitos parabens pelo blog esta espetacular.eu sou aluna do 1ºano de animação sociocultural. eu preciso duma ajuda eu preciso de acitvidades musicais...é complicado pois nao queria uma coisa basica mas sim algo diferente. gostaria que me ajuda-se obrigada.

Seninhas! disse...

ola muito boa tarde. é com muito agrado que vejo o que escreve. como animadora socio cultural tenho as minhas dificuldades para fazer passar, por vezes, que não somos nenhuns palhaços.. Gosto quando venho ao seu blog de pesquisar e de ler o que escreve e sinto-me bem. vejo também os seus gosto pelo desporto e cultura que é algo também comum aos meus. agradeço a forma como escreve e por escrever portanto continue que eu continuo a vir aqui dar uma espreitadela. obrigada, bem haja!